sábado, 10 de dezembro de 2016

40 - Terras de Capelins

Villa de Terena - o nosso Concelho entre 1262 e 1698! 

A Villa de Terena passou a Concelho quando recebeu o 1º Foral em 1262

"No Arcebispado de Evora, sete legoas ao Nascente desta Cidade, & duas ao Poente da Villa de Redondo, em lugar alto està fundada a Villa de Terena, cujo primeiro sitio foy entre o ribeiro do Alcayde, & a ribeira Licefeci, a qual tem seu nascimento em a serra d’Ossa, & correndo junto desta Villa pela parte do Norte por huma fecunda varzea, se chama a ribeira de Terena, cujas aguas entrão no rio Guadiana, que divide o termo da Villa do Landroal dos de Alconchel, & Cheles no Reyno de Castella.
Mandou povoar a esta Villa, & lhe deo foral pelos annos de 1262. D. Gil Martins, pay do conde D. Martim Gil, & de sua mulher D. Maria João, que devião povoar a Villa de Viana, & por isso forão do seu senhorio, & as teve o Conde seu filho, atè que por morte delle vagàrão para a Coroa. ElRey D. Manoel lhe deo foral em Lisboa aos 10. de Outubro de 1514. He cercada de muros com seu Castello, de que he Alcayde mór o Conde da Ponte: tem 250. visinhos com huma Igreja Parroquial da invocação de S. Pedro com hum Prior, & dous Beneficiados, que apresenta a Cora Real, & hum Vigario da Vara.
Tem mais a Igreja da Misericordia com seu Hospital, huma Ermida de S. Antonio no Rocio, & outra de S. Sebastião, & na decida da Villa em sitio baixo huma Igreja de N. Senhora da Boa Nova, que fundou a Rainha D. Maria, mulher delRey D. Affonso o Segundo de Castella, filha delRey D. Affonso o Quarto de Portugal. He esta Igreja muito forte, & em fórma de Castello, toda cercada de ameyas de pedraria, & pela parte de dentro representa huma perfeita Cruz: tem seu Capellão da Ordem de Aviz com obrigaçam [536] do meyo annal de Missas na Igreja Matriz, & conserva ainda a pia de bautizar, por ser antigamente a primeira Freguezia desta Villa, a qual se foy despovoando, por estar em lugar baixo, & pouco sadio, & se mudou para o sitio, em que hoje está.
He esta Villa abundante de pão, gado, & caça: o seu termo tem seis legoas de Norte a Sul, & duas de largo de Nascente ao Poente, com duas Freguesias, Curados; a primeira he da invocação de Santo Antonio, tem 60. visinhos, & duas Ermidas, huma de N. Senhora das Neves na Villa de Ferreira, que dista de Terena huma legoa para a parte do Sul, & outra de S. Clara. A segunda Freguesia he dedicada a Santiago, tem 100. visinhos, & duas Ermidas, S. Amaro, & S. Francisco na Rindeira.
Tem esta Villa treze defezas, que se repartem por sortes aos moradores, de que paga cada hum meyo tostão ao Concelho, assistindo à data das sortes o Corregedor da Comarca; & as defezas da boleta, que ha nestas nomeadas, se dão em malhadas aos moradores da Villa, & seu termo para as suas porcadas, de que paga cada hum de cada malhada o que he necessario para os gastos do Concelho.
Termina-se o termo desta Villa com a carreira de Machos, & a ribeira de Lucefeci abaixo atè se meter no rio Guadiana, & dahi parte com o Guadiana abaixo atè o moinho do Gato, & dahi sahe o Azebel acima atè a Atalaya do Ramo alto a dar no Curral de Saro, & dahi parte com a defeza de Pedro Alçada, que he do termo de Monçarás, & vem dar a Santo Aleixo, aguas vertentes para o Norte, atè chegar ao pè da Serra d’Ossa, que he do termo da Villa do Redondo.
Tem dous Juizes ordinarios, tres Vereadores, hum Procurador do Concelho, Escrivão da Camera, Juiz dos Orfãos com seu Escrivão, hum Tabelião do Judicial, & Notas, hum Alcayde, & huma Companhia da Ordenança, & outra no termo".


Terena
Foto net


domingo, 4 de dezembro de 2016


39 - Terras de Capelins 


Capelins após a Convenção de Évora Monte

Como D. Miguel perdeu a guerra os seus soldados foram desmobilizados, ou melhor, dispensados sem qualquer plano de integração na vida civil, a maioria foram perseguidos durante muito tempo pelos vitoriosos, assim, alguns, sem trabalho, sem poderem voltar às suas terras porque seriam bem castigados, andaram a vaguear pelo país, em grupos, com fardas esfarrapadas, fusil às costas e assaltando, até Igrejas, para matar a fome! Após a guerra civil, foram tempos muito difíceis, também nas terras de Capelins e vizinhas, como o caso do desgraçado que mataram a beber água na fonte perto de Terena, que ía sob prisão de Vila Viçosa para Portel e o do Monte Branco, que ía sob prisão de Vila Viçosa para Juromenha, pai de filhos pequeninos! Guerra civil! 



38 - Terras de Capelins 


Memórias e Capelins 

Sabia que, a maioria dos povoadores do espaço geográfico da Freguesia de Capelins, que aqui chegaram nos anos de 1800, conforme se pode verificar nos assentos Paroquiais (Batismos, Casamentos, Óbitos), eram: Pastores, ganadeiros (guardadores de gado, ganado em espanhol)? Obviamente, que ao darmos conhecimento do que está escrito pelos Párocos de Santo António de Capelins, é sem qualquer desprimor, antes pelo contrário, porque então no meio rural era considerada uma das melhores profissões e sobre a qual tinha que existir muita sabedoria que se adquiria ao longo dos anos enquanto ajuda do pastor! Deve ser, motivo de orgulho dos seus descendentes, porque sem dúvida, sem eles não existíamos e queiramos, ou não, as suas histórias de vida fazem parte da nossa identidade! 


37 - Terras de Capelins: Faleiros - Ferreira - Montejuntos 


Memórias de Capelins - 200 anos

Sabia que, há exatamente 200 anos, em 1816, nasceram na Freguesia de Capelins, 32 pessoas, sendo 19 do sexo masculino e 13 do sexo feminino?
Se lhe interessar saber os nomes em moda na Freguesia de Capelins nessa época, seguidamente damos-lhe a conhecer o nome próprio dessas pessoas que muito provavelmente podem ser da sua Família:
Nomes que foram dados aos 19 meninos: Manoel, o 1º a nascer em Capelins em 1816; Miguel; José; António; José; José; Dionízio; Paullino; Manoel; Francisco; Christóvão; Manoel; Manoel; José; José; José; Manoel; José; Manoel. 
Sem ser nenhum concurso, podemos dizer que o nome masculino vencedor há 200 anos na Freguesia de Capelins foi o nome de José, (7), seguido pelo nome Manoel (6).
Quanto ao nome das meninas foram os seguintes:
Conceição; Marianna; Isabel; Anna; Catharina; Maria; Cecília; Angelina; Joaquina; Catharina; Vicência; Maria; Mónica, esta foi a última a nascer em Dezembro de 1816!
Verificamos que, o nome das meninas foi muito diversificado, podemos considerar dois vencedores exequo que foi Maria (2) e Catharina (2)! 
Sabe que, pode estar aqui um/a dos/as seus/as antepassados!

"Último batismo de 1816 - Mónica" 

36 - Terras de Capelins: Faleiros - Ferreira - Montejuntos 


Memórias de Capelins - 300 anos 

Sabia que, exatamente há 300 anos, em 1716, nasceram 13 crianças na Freguesia de Capelins? Sendo 4 do sexo masculino e 9 do sexo feminino! 
Os nomes próprios dados aos meninos foram: 3 Manoel, 1 João! 
Os nomes próprios dados às meninas foram: 3 Isabel; 3 Francisca; 1 Maria; 1 Joanna; 1 Anna!
No ano de 1716, faleceram em Capellins 7 indivíduos, sendo 6 do sexo masculino e 1 do sexo feminino! 
Durante os anos de 1715 e 1716, não se registaram matrimónios na Igreja de Santo António! Será que alguns nubentes ainda casavam na Ermida de Nossa Senhora das Neves? Talvez sim, porque a população ainda se concentrava na sua maioria na Villa de Ferreira, junto ao local denominado Neves, desde finais de 1600!
Até ao momento tivemos acesso a poucos documentos produzidos na Igreja Matriz de Santa Maria a que antecedeu a Ermida de Nossa Senhora das Neves, temos indicações de que os documentos das Igrejas e Conventos que pertenciam ao Bispado de Elvas encontram-se no Arquivo Municipal de Elvas, vamos ver! Sabermos que a Igreja Matriz de Santa Maria de Ferreira, mandada construir por D. Dinis em 1314, entrou em ruínas nas décadas de 1660/1670, acabando por ser demolida e substituída pela Ermida de Nossa Senhora das Neves, construída ao lado, a sul. Também existe a versão de que foi destruída por invasores, na década de 1660, talvez não! porque como sabemos, esses invasores eram católicos!

1716 - 300 anos!

198 - Terras de Capelins Vidas do Contrabando e dos guardas fiscais nas terras de Capelins  História, lendas, contos e tradições da...